Rui Chafes, (a sustentada leveza do) peso do paraíso

Exposição “O peso do paraíso”, de Rui Chafes
Lisboa, Centro de Arte Moderna, 13 fevereiro – 18 setembro 2014

Rui Chafes tem a primeira exposição retrospetiva em Portugal ou, pelo menos, a primeira com esta dimensão. São mais de uma centena de obras que preenchem os espaços e se prolongam para lá dele. Muitas nunca tinham sido apresentadas no país, enquanto foi através de outras que nos habituámos à obra de Chafes e aprendemos a distinguir a sua marca. Umas são imensas, exigindo uma reserva de vazio em torno. Outras são breves vibrações que, subitamente, se descobrem em sítios inesperados, quase impercetíveis. Cada uma é um universo único que concentra por inteiro, sem distrações, nem inadvertências. Todas são impositivas: estão ali e aquele lugar pertence-lhes por inteiro. O guião segue uma narrativa entre a força da presença de cada uma, a expetativa que a antecede e a pausa que se lhe segue, seguindo a lógica do contraste entre a intuição do peso e a imanência da leveza que se intui na obra de Chafes.

Exposição "O peso do paraíso" Lisboa, CAM, 2014
Exposição “O peso do paraíso”
Lisboa, CAM, 2014

Continuar a ler “Rui Chafes, (a sustentada leveza do) peso do paraíso”