O fio que tece uma trama de rostos…

Exposição “Rostos de Fátima, fisionomias de uma paisagem espiritual”
Fátima, Convivium de Santo Agostinho, Basílica da Santíssima Trindade (28 nov. 2020 – 15 out. 2022)

Esta exposição tem, literalmente, um fio condutor.

Tear (detalhe), no espaço introdutório da exposição
Foto: MIR, 2021

A primeira peça é um tear artesanal com uma peça em meia urdidura e de cuja teia parte um fio vermelho que une cada um dos pontos da exposição, ou os diferentes rostos que constroem a narrativa da exposição. Ao lado, sobre a imagem de uma meada de fios, as palavras-chave que constituem o mote desta narrativa, mas cuja chave de leitura apenas será revelada no final: esquecemos, lições, história, crise, sofrimento, forma de viver, humanidade, rostos, mãos, vozes.

A exposição está estruturada em duas partes sequenciais e complementares, marcada no chão com uma faixa onde se apresenta o respetivo título. A primeira parte “Paisagem humana: que rostos em Fátima?”, concreta e denotativa, mostra os rostos conhecidos daqueles que traçam a história e a fisionomia material do santuário de Fátima. A segunda “Fisionomias espirituais: que rostos de Fátima?”, conceptual e conotativa, assume uma função referencial e interpretativa do sentido espiritual do lugar.

Entrada da exposição
Foto: Santuário de Fátima

Continuar a ler “O fio que tece uma trama de rostos…”

Paixão segundo Aleijadinho, em Congonhas: o sítio e o museu

O Museu de Congonhas é considerado o primeiro ‘museu de sítio’ do Brasil, formalizando-se como um centro interpretativo do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, incluído no Livro de Tombo de Belas Artes do IPHAN, em 1939, e inscrito na Lista do Patrimônio Cultural Mundial da UNESCO, em 1985.

Museu de Congonhas | Galeria da Arquitetura
Museu de Congonhas
Gustavo Penna Arquiteto & Associados (GPA&A), 2015
Congonhas
Foto: GPA&A, 2015

Continuar a ler “Paixão segundo Aleijadinho, em Congonhas: o sítio e o museu”

“Vestida de branco”: uma exposição em torno de uma imagem

Exposição “Vestida de Branco: A imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima”
Fátima, Convivium de Santo Agostinho, Basílica da Santíssima Trindade, 30 nov. 2019 – 15 out. 2020

O Museu do Santuário de Fátima continua a série de exposições comemorativas de centenários relacionados com as aparições. A exposição “Vestida de branco” é comissariada por Marco Daniel Duarte, com museografia dos arquitetos Humberto Dias e Pedro Gândara e design de Inês do Carmo.

Esta é uma exposição comemorativa do centenário da primeira escultura de Nossa Senhora de Fátima.  Porém, o objeto nuclear da exposição, isto é, a imagem da Senhora de Fátima venerada na Capelinha, mantém-se afastado do espaço expositivo, embora se anuncie a sua presença, por um dia, no próximo dia 13 de junho, assinalando o centenário da sua chegada ao santuário.

Figuras recortadas a convergir para a entrada da exposição
Convivium de Santo Agostinho
Foto: MIR, 2019

Continuar a ler ““Vestida de branco”: uma exposição em torno de uma imagem”

Museu da liturgia ausente

Museu da Liturgia
Rua Jogo de Bola, 15
Tiradentes (MG), Brasil 

Um museu que se diz “da liturgia” cria a expetativa de interpretar o culto, de interpretar o sentido dos rituais e de os relacionar com os princípios teológicos que os fundamentam, de justificar a forma e a função das alfaias. Cria a expetativa de uma abordagem antropológica na elucidação dos fenómenos sociais relacionados com a religiosidade. 

Museu da Liturgia.
Brasil, Tiradentes (MG)

O museu, inaugurado em 2012, ocupa a antiga casa paroquial, adjacente ao edifício da Câmara e nas proximidades da igreja matriz de Santo António. O acervo é constituído por cerca de 420 peças do período colonial mineiro, provenientes da paróquia de Santo António e totalmente restauradas.  Continuar a ler “Museu da liturgia ausente”

Capela-mundi: o catálogo

Santos, A. R., & Duarte, M. D. (2019). Capelinha das Aparições: Capela-mundi = Chapel of the ApparitionsWorld chapel. Fátima: Santuário de Fátima. (Arte e património, 3) 

A exposição Capela-múndi: Exposição temporária comemorativa do centenário da construção da Capelinha das Aparições afirmou-se como uma referência no âmbito da museologia da religião. Prestes a terminar, foi agora complementada com a publicação do respetivo catálogoem edição bilingue em português e inglês, tendo sido coordenado editorialmente por Ana Rita Santos e Marco DanieDuarteDiretor do Museu do Santuário de Fátima e comissário da exposição. O catálogo constitui o 3.º número da coleção Arte e património, na sequência de Francisco e Jacinta: Candeias que Deus acendeu (Duarte, 2012), catálogo das exposições comemorativas do centenário dos nascimentos dos Beatos Francisco e Jacinta Marto, e de Estudo científico da Escultura de Nossa Senhora do Rosário de Fátima (Coroado, & Duarte, 2017).   Continuar a ler “Capela-mundi: o catálogo”

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search