Arte ou conceito? – através da obra de Jeff Koons e Joana de Vasconcelos

No balanço da museologia de arte contemporânea em 2014, salientam-se os nomes de Jeff Koons e de Joana de Vasconcelos. Se ambos são olhados com desconfiança pelos pares e por uma (pseudo) elite artística e intelectual, denunciando a linguagem rudimentar e o discurso mediano da produção mais recreativa do que recreativa – ambos se limitam a alterar escalas, materiais e texturas, apropriando-se das criações de outrem – a verdade é que ambos conseguem o reconhecimento das massas graças a uma produção facilmente reconhecível, compreensível e apreensível. Ambos se situam num registo de Pop Art ou, mais propriamente, na corrente Neo-Pop, e, portanto, a sua obra é essencialmente popular e dirigida a um público alargado, ao homem comum e medianamente informado.

Contaminação  Joana Vasconcelos, 2008-2010 Exposição "Joana Vasconcelos. Sem rede", Museu Colecção Berardo,  Foto: MIR, 2010.
Contaminação
Joana Vasconcelos, 2008-2010
Exposição “Joana Vasconcelos. Sem rede”, Museu Colecção Berardo,
Foto: MIR, 2010.

Continuar a ler “Arte ou conceito? – através da obra de Jeff Koons e Joana de Vasconcelos”