A (nova) definição de museu

A nova definição de museu foi aprovada na Assembleia Geral Extraordinária do ICOM – Conselho Internacional de Museus (Praga, 24 ago. 2022):

Um museu é uma instituição permanente, sem fins lucrativos e ao serviço da sociedade, que investiga, coleciona, conserva, interpreta e expõe o património material e imaterial. Os museus, abertos ao público, acessíveis e inclusivos, fomentam a diversidade e a sustentabilidade. Os museus funcionam e comunicam de forma ética e profissional e, com a participação das comunidades, proporcionam experiências variadas para a educação, a fruição, a reflexão e a partilha de conhecimento (Trad. livre do inglês1).

Continuar a ler “A (nova) definição de museu”

  1. A versão portuguesa, publicada logo após a votação, apresenta erros de sintaxe e pontuação, nomeadamente, ao referir que “Os museus funcionam e comunicam ética, profissionalmente e, com a participação das comunidades […]”, pelo que não a seguimos aqui. Uma vez que o texto da definição já era conhecido, teria sido conveniente preparar uma tradução mais refletida e correta, que não desse a ideia de ter sido feita de forma apressada no decurso da sessão e com recurso a ferramentas eletrónicas… Dado que o sítio eletrónico do ICOM Portugal (consulta a 25 ago. 2022) mantém a definição anterior, é expetável que a versão divulgada nas redes sociais seja corrigida antes de se tornar oficial. []

A (in)definição de museu

Quando o assunto é a definição de museu, é frequente encontrar, em epígrafe, uma citação de Richard Grove:

“A hospital is a hospital. A library is a library. A rose is a rose. But a museum is Colonial Williamsburg, Mrs. Wilkerson’s Figure Bottle Museum, the Museum of Modern Art, the Sea Lion Caves, the American Museum of Natural History, the Barton Museum of Whiskey History, The Cloisters, and Noell’s Ark and Chimpanzee Farm and Gorilla Show.” (Grove, 1968, cit. in Alexander & Alexander, 2008, p. 1)

Um hospital é um hospital, uma biblioteca é uma biblioteca, uma rosa é uma rosa, mas um museu não é “um” museu: é “aquele” museu e não outro. Cada museu, com um espólio exclusivo, constituído por peças únicas, é uma realidade singular, definida através dessa mesma exclusividade. Devido a esta multiplicidade de circunstâncias individualizadas, o museu, enquanto conceito genérico, revela-se na sua complexidade, difícil de definir, ou de descrever sumariamente.

Apolo e as Musas no Monte Hélicon
Claude Lorrain, 1680.
Boston, Museum of Fine Arts

Continuar a ler “A (in)definição de museu”

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search