A ventura de Dom Manuel e um reino que se viu renovado

Exposição “Vi o reino renovar: Arte no tempo de D. Manuel I”
Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga (25 jun. – 26 set. 2021)

A exposição celebra os quinhentos anos da morte de D. Manuel I (1469–1521), cujo reinado de 26 anos lhe granjeou o cognome “O Venturoso”, Não é, porém, uma exposição centrada no rei, mas no reino que renovou e na arte desse tempo marcado pela conjuntura da favorável da expansão marítima. “O império está em franca expansão, há dinheiro e é preciso comunicar a todos o novo papel que Portugal tem no mundo. O rei precisa, também, de mostrar que é legítimo o seu direito ao trono enquanto primeiro monarca do novo ramo da dinastia de Avis” (Joaquim Caetano cit. in Canelas, 2021, p. 30).

Em primeiro plano, Anjo heráldico, de Diogo Pires-o-Moço, 1518-1522
Atrás, reproduções em gesso das estátuas de D. Manuel e D. Maria, de Nicolau de Chanterene, (1517) c. 1958
Exposição “Vi o reino renovar”
Foto: MIR, 2021

O título é colhido da obra Miscelânea e variedade de histórias, de Garcia de Resende, onde o cronista regista em verso a situação do reino:

[…]
vijmos seu edificar,
no reyno fazer alçar
paços, igrejas, mosteiros
grandes, pouos caualleiros,
vij ho reyno renouar.
(Resende, 1622, p. 155)

Continuar a ler “A ventura de Dom Manuel e um reino que se viu renovado”