Um outro Algarve nos anos 60: a praia

“No princípio dos anos sessenta, o Algarve já chamava”
(Luísa Costa Gomes, 2018)

Memórias desse tempo em que o Algarve era só nosso

“No princípio dos anos sessenta, o Algarve já chamava”, mas nesse tempo o Algarve ainda era só nosso, dos que lá havíamos nascido e por lá havíamos ficado. Até porque não era fácil partir, nem chegar. Não havia autoestrada (a A1, iniciada em 1966, só chegou ao nó de Setúbal em 1979 e apenas foi concluída em 2002), as estradas eram ruins e obrigavam às curvas da serra, os comboios eram lentos e as carreiras de camioneta, muito poucas. O aeroporto de Faro foi inaugurado em 1965 e isso fez toda a diferença.

Praia da Rocha
Postal ilustrado, década de 1960

Continuar a ler “Um outro Algarve nos anos 60: a praia”

Memórias do barlavento algarvio: Museu Dr. José Formosinho, em Lagos

O Museu Dr. José Formosinho faz parte do polinucleado Museu de Lagos1.

Dr. José Formosinho
José Higino (José Higino Amado da Cunha Júnior, 1902-1993)
Lagos, Museu Dr. José Formosinho (MJF)
Foto: MJF

Continuar a ler “Memórias do barlavento algarvio: Museu Dr. José Formosinho, em Lagos”

  1. Além do Museu Dr. José Formosinho, fazem parte do Museu de Lagos os núcleos Rota da Escravatura – Mercado de Escravos, Forte Ponta da Bandeira, Balneário Romano da Praia da Luz, além do Armazém do Espingardeiro e do Centro de Documentação atualmente encerrados. []
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search