Bolo-rei

“N’este dia costuma-se fazer à mesa real o gracejo denominado: O bolo dos reis. Como é sabido, é um bolo, contendo uma fava, que se reparte pelos convivas, sendo proclamado rei e dando beija mão aquelle a quem cae a fava.”1

Um bolo que simboliza os Reis Magos e também os seus presentes: atributo real pela forma de coroa, com a côdea dourada pontuada pelo brilho das frutas cristalizadas; a côdea é o ouro, as frutas cristalizadas e as frutas secas da massa são a mirra, o aroma é o incenso.


Conta a lenda que, quando os Reis Magos viram a estrela de Belém, disputaram entre si a quem caberia a honra de ser o primeiro a adorar o Menino. Para resolver a contenda, um padeiro fez um bolo em cuja massa escondeu uma fava. Dividido o bolo em fatias, aquele a quem calhasse a fava seria o escolhido. Não nos relata a história qual terá sido, mas fixou-se o costume em introduzir uma fava e uma pequena prenda no interior do bolo: a quem coubesse a prenda era afortunado; aquele a quem calhasse a fava ficava com a obrigação de pagar o bolo-rei no ano seguinte. Era assim a tradição…

  1. In Diário de Notícias, 6 jan. 1870. segundo informação de Cristina Neiva Correia []

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.