Exposição de máscara(s) obrigatória

Exposição virtual “Um mundo de máscaras
Exposição “Um mundo de máscaras
Lisboa, Museu da Farmácia (8 jul. – 30 set. 2020)

No início da pandemia Covid-19, o país decertou o estado de emergência, que vigorou em três períodos quinzenais, entre 19 de março e 2 de maio, obrigando o país ao confinamento compulsivo no domicílio e ao encerramento das instituições. Os museus fecharam as portas e, alguns com maior sucesso e oportunidade do que outros, reinventaram-se na forma de apresentar as coleções ao público e na interpretação da sua missão social1.

Máscara da peste negra
Século XVII-XVIII
Museu da Farmácia
Foto: Pedro Loureiro/Museu da Farmácia

Esses dias transformaram-nos. Mesmo após o desconfinamento, o sentimento generalizado continuou a ser de insegurança, mas também de impotência face a um vírus desconhecido e avassalador, de solidão dos que se viram entre as quatro paredes de uma casa que se tornara presídio, e de medo que se instalava determinado mesmo naqueles que o procuravam dissimular. Nestas circunstâncias inéditas, para que serve um museu?

Serve, em primeiro lugar, para nos permitir um espaço de evasão, para nos permitir o encontro com outras realidades, com o mundo das ideias onde – ensinou-nos Platão – existe a Beleza, separada do mundo sensível, sobretudo, quando este se revela tão agreste. Mas serve também para sensibilizar e ensinar as atitudes mais adequadas em contingências inéditas. Este serviço parece mais premente nos museus que operam nos domínios particularmente envolvidas no combate à pandemia, como os de ciência, de medicina, ou da farmácia, porque estão perto do conhecimento que é necessário trazer para o quotidiano.

Após o estado de emergência, o país voltou a sair e o uso da máscara tornou-se obrigatório. Era necessário incutir este comportamento, torná-lo regular e normal. E, com esse propósito, o Museu da Farmácia, em Lisboa, organizou uma exposição sobre o tema, estabelecendo uma parceria com o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, o Museu da Marioneta, o Museu do Oriente e o Museu Nacional de Etnologia.

Máscaras rituais
Exposição virtual “Um mundo de máscaras”
2020

“Um mundo de máscaras” surgiu como exposição virtual temporária, com o “intuito de promover uma ponte entre o presente e o passado, por forma a desmistificar a utilização deste objeto milenar que, noutros tempos, era usado com diversos objetivos, para além da proteção”, conforme se lê na página da exposição no sítio eletrónico do museu.

A exposição virtual foi inaugurada no Dia Internacional dos Museus, a 18 de maio, que, este ano, teve como tema “Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão”. Por isso, sob o mote da “máscara”, a exposição apresenta “os quatro cantos do mundo”, mostrando a diversidade de culturas ao longo dos vários continentes como pedagogia para a igualdade e inclusão.

As 36 máscaras são apresentadas na dupla perspetiva da localização geográfica, agrupando-as por continentes – África, América, Ásia e Europa – e da sua funcionalidade, em torno dos temas – ritual, proteção e tradição. Dentro de cada grupo, a imagem da máscara permite a ligação à ficha identificativa e, desta, à respetiva descrição interpretativa.

Ficha interpretativa
Exposição virtual “Um mundo de máscaras”
2020

A informação aqui contida, sendo de acesso muito intuitivo, poderia facilmente ser convertida num catálogo temático, particularmente interessante quando a exposição deixar de estar disponível.

Exposição “Um mundo de máscaras”; à direita, Àsia
2020
Lisboa, Museu da Farmácia Foto: Museu da Farmácia

Num sentido oposto ao que é habitual, a exposição virtual tornou-se real e uma mostra de 14 máscaras foi inaugurada, no dia 8 de julho, no átrio do museu, onde cada canto se torna um dos cantos do mundo. Um padrão de bolas reproduz a respetiva cartografia, ultrapassando a superfície das vitrinas verticais e integradas, para se estender pelo chão e paredes. A cada continente corresponde uma cor e de cada um parte uma linha de bolas na cor correspondente que converge para a plataforma central no topo da qual se desenha o mapa mundo, obedecendo ao mesmo esquema gráfico.

África
América
Europa
Exposição “Um mundo de máscaras”, 2020
Foto: MIR, 2020

As máscaras são entrevistas através deste padrão que é interrompido à frente de cada uma. Será este o aspeto menos positivo, não se percebendo o propósito de obrigar o observador a tentar encontrar o melhor ângulo de visualização ou de ensaiar uma posição que lhe permita ficar à altura de cada abertura. Poderá constituir uma analogia ao desconforto do uso da máscara, mas parece ter sido uma opção mais estética do que funcional.

No mapa mundo do centro, encontra-se assinalado, com a respetiva imagem fotográfica, o local de proveniência da totalidade das máscaras (nem todas estão fisicamente expostas). Além disso, cada uma é acompanhada de um QR Code, permitindo ao visitante munido de um dispositivo móvel, o acesso a uma componente de Realidade Aumentada e adornar-se com qualquer uma das máscaras que integram a exposição. No entanto, não permite o acesso à ficha identificativa e interpretativa disponível na exposição virtual.

Mapa mundo com aplicativo de realidade aumentada
Exposição “Um mundo de máscaras”
2020
Lisboa, Museu da Farmácia
Fotos: MIR, 2020

informação relativa às máscaras expostas é apresentada ao lado das vitrinas: a legenda identificativa de cada uma das obras; um texto relativo a cada núcleo/continente.

Na sua dupla dimensão, virtual e física, esta exposição orienta-se num propósito nuclear: a apresentação da máscara como defesa e proteção. E mostra-nos que, apesar de nos parecer uma nova contingência, este é um uso milenar e global.

O Museu da Farmácia e aqueles com quem estabeleceu parceria para criar esta exposição cumpriram a sua missão de forma oportuna e adequada. Nestes dias carregados de sombra, esta foi uma ideia luminosa e muito feliz!

Cite this article as: Roque, Maria Isabel, "Exposição de máscara(s) obrigatória," in a.muse.arte , 2020/09/15, https://amusearte.hypotheses.org/6828.
  1. Vd. Repensar o museu em tempo de pandemia, e Museus na web: Outra forma de ver nestes dias tão estranhos []

2 comentários em “Exposição de máscara(s) obrigatória”

  1. “…Nestes dias carregados de sombra, uma ideia luminosa e muito feliz!”
    Certamente que sim.E uma muito interessante exposição, que espero ir ver.
    Obrigado, Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.