Requiem por Notre-Dame

Notre Dame está a arder.

Incêndio em Notre Dame
2019, 15 de abril
Fonte da imagem: NBC

Incêndio em Notre Dame: queda do pináculo
2019, 15 de abril
Fonte da imagem: JSL
Incêndio em Notre Dame: pináculo caído
2019, 15 de abril
Fonte da imagem:  JSL; Francois Guillot / AFP
Incêndio em Notre Dame: pináculo caído
2019, 15 de abril
Fonte da imagem:  ABC News; Philippe Lopez/AFP

Hoje, a notícia atinge-nos com a violência de uma tragédia. Com espanto e horror, vemos as imagens do fogo que avança pela cobertura, vemos o pináculo a cair…

Notre Dame é o lugar que nos habituámos a sentir como nosso. É um lugar matricial para a nossa cultura, para a história da espiritualidade e da arte, símbolo de uma época, mas que atravessa várias épocas, ponto fulcral da cultura ocidental onde se cruzam vários episódios da história e da literatura, lugar onde (também) se constrói a nossa identidade. O sentido de pertença é aquilo que protege o património, mas é também aquilo que é ferido de morte quando o património se perde.

É uma tragédia que nos atinge porque com o fogo que a destrói é um bocado de nós, da nossa história, mas também do nosso presente, que se esfuma. Estamos de luto, num imenso lamento. Como em todas as mortes, há tanto de irreparável nesta perda!

“Cathédrales de brume aux arches fantastiques ;
Montagnes de vapeurs, colonnades, portiques,
Par la glace de l’eau doublés,
La brise qui s’en joue et déchire leurs franges,
Imprime, en les roulant, mille formes étranges
Aux nuages échevelés.”
Théophile Gautier (1811-1872).
“Notre-Dame”, in La comédie de la mort (1838).

Notre Dame de Paris
2013
Fonte: Wikipedia
Notre Dame de Paris
Foto: MIR, 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.