O visitante no museu face à obra de arte: fonte para estudos de público

Stefan Draschan é um fotógrafo autodidata de 38 anos, austríaco, atualmente a viver em Paris e que passa os dias em museus, à espera da oportunidade de criar a sua obra. O projeto “People Matching Artworks“, publicado na página Tumblr do fotógrafo pretende isso mesmo: relacionar, ou combinar, as pessoas e as obras de arte. O visitante é o objeto, aquele que é captado pela sua objetiva, em função da complementaridade visual, gráfica ou cromática, que estabelece com a obra exposta em museus de Paris, Berlim ou Viena.

Projeto “People matching artworks”
Stefan Draschan, 24 out. 2017
Paris, Centre George Pompidou

Draschan cita Pontus Hultén, um dos diretores-fundadores do Centre George Pompidou, em Paris, para fundamentar o seu trabalho: “He said once that the museum is no longer just a place where artworks are conserved but where the visitors themselves become creative […] I continue this thought and expand it by making the visitors themselves an artwork.” (Drashan, cit. in Dziemianowicz, 2017, 24 out.) Embora as fotografias pareçam encenadas, são, na realidade, o resultado de uma observação paciente e da capacidade de reação a uma circunstância momentânea. A fotografia é furtiva, captando o momento em que o visitante, sempre visto de costas, estabelece, através, do cabelo, da roupa, da atitude, uma conexão com a obra que observa.

Projeto “People matching artworks”
Stefan Draschan, 19 out. 2017
Paris, Museé du Louvre

O resultado é um conjunto de imagens que, nos últimos dias, se tornou viral e tem vindo a invadir a imprensa internacional, desde o Le Monde (Browser, 2017, 26 out.) ao Daily Mail (Stern, 2017, 20 out.) ou ao Metro (Larbi, 2017, 22 out.). Enquanto é geralmente referido como o “fotógrafo de museu”, o Art das Kunstmagazin sintetiza-o como “Jäger und Sammler” (caçador-coletor) dos visitantes. Numa entrevista divulgada neste sítio eletrónico (Akyüz, 2017, 8 ago.), Draschan explica o método que usa: conhecendo as obras expostas no museu, deteta os visitantes que possam estabelecer uma correlação com determinada obra, coloca-se junto destas e fica a aguardar que a pessoa passe por lá.

Para lá deste projeto, Stefan Draschan tem desenvolvido outros, também em contexto museológico: People sleeping in museums; People touching artworks; The three graces (não exclusivamente em museus).

Projeto “People touching artworks”
Stefan Draschan, 20 ago. 2017
Munique, Glyptothek

Surge, assim, um corpus documental do público de museu, na complexidade das atitudes, gestos e expressões. O estudo da atitude dos visitantes levou Falk e Dierking (1992) a constatação de que, para lá das aparências, a sua experiência não é passiva, mas corresponde ao ambiente físico do museu – “the physical context” – num processo dinâmico que inclui as suas experiências prévias, durante e pós-visita. Mais recentemente, têm surgido uma série de estudos sobre os visitantes dos museus baseados na sua observação das fotos de viagens: (Balomenou & Garrod, 2014; MacKay & Couldwell, 2004; Vu, Luo, Ye , Li & Law, 2017). “One major advantage of online travel photos is the availability of metadata attached to the photos, which provide additional information on visitor behavior at the destination.” (Vu et al., 2017, p. 12) Porém, em regra, estas fotografias representam a intenção do visitante, tendo subjacente o propósito de se mostrar – as fotografias não se destinam apenas a perpetuar a memória do próprio, mas a ser publicadas, nomeadamente, nas redes sociais – e passar uma imagem fabricada e, por conseguinte, ficcionada ou idealizada de si próprio.

As fotografias de Draschan também se destinam à publicação numa rede social, mas o seu testemunho é de outra ordem. O visitante, ainda que captado em função de um propósito de ordem estética, baseada na perceção visual da conexão com a obra, a que se junta uma boa porção de humor, não sabe que está a ser fotografado. Não ensaia a pose, não fabrica expressões e gestos em função da fotografia. Nesse sentido, as fotografias de Draschan dão um contributo diferente para a análise dos públicos no museu. Para lá do registo estético-humorístico do fotógrafo, está a representação crua das atitudes dos visitantes nos museus face às obras expostas.

Referências bibliográficas:
Akyüz, E. (2017, 8 ago.). Kunst vs. Besucher: Das passt!. Art das Kunstmagazin. Acedido em http://www.art-magazin.de/fotografie/20678-rtkl-kunst-vs-besucher-das-passt
Balomenou, N., & Garrod, B. (2014). Using volunteer-employed photography to inform tourism planning decisions: A study of St David’s Peninsula, Wales. Tourism Management, 44,126-139. DOI:  10.1016/j.tourman.2014.02.015
Browser, B. (2017, 26 out.). Des visiteurs de musées assortis aux tableaux qu’ils regardent. Le Monde. Acedido em http://www.lemonde.fr/big-browser/article/2017/10/26/des-visiteurs-de-musees-assortis-aux-tableaux-qu-ils-regardent_5206308_4832693.html#toU47l7q7jdqTkhC.99
Dziemianowicz, J. (2017, 24 out.). Photographer says it’s ‘beautiful’ snapping people who match art. Daily News. Acedido em http://www.nydailynews.com/entertainment/theater-arts/photographer-beautiful-snapping-people-match-art-article-1.3585431
Falk, J. H., & Dierking, L. D. (1992). The museum experience. Washington, D.C.: Whalesback Books.
Larbi, M. (2017, 22 out.). Photographer waits for gallery visitors to match artworks and the results are brilliant. Metro. Acedido em: http://metro.co.uk/2017/10/22/photographer-waits-for-gallery-visitors-to-match-artworks-and-the-results-are-brilliant-7018141/?ito=cbshare
MacKay, K. J., & Couldwell, C. M. (2004). Using visitor-employed photography to investigate destination image. Journal of Travel Research, 42(4), 390-396. DOI: 10.1177/0047287504263035
Stern, C. (2017, 20 Out.). When life imitates art, literally!: Photo series captures people in galleries and museums who inadvertently match the pieces they’re looking at. Daily Mail Online. Acedido em: http://www.dailymail.co.uk/femail/article-5002390/Stefan-Draschan-photos-people-matching-museum-art.html#ixzz4x2IE6zeH
Vu, H. Q., Luo, J. M., Ye, B. H., Li, G., & Law, R. (2017). Evaluating museum visitor experiences based on user-generated travel photos. Journal of Travel & Tourism Marketing. DOI: 10.1080/10548408.2017.1363684

Cite this article as: Roque, Maria Isabel, "O visitante no museu face à obra de arte: fonte para estudos de público," in a.muse.arte , 2017/10/31, https://amusearte.hypotheses.org/1984.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *