Francisco de Holanda e a malícia do tempo

Francisco d’Ollanda (1517-1584), ou de Holanda, é um nome quase desconhecido para lá de algumas referências toponímicas e de alguns círculos restritos. E, no entanto, ele foi um dos nomes maiores do Humanismo e um dos mais relevantes tratadistas no Renascimento Europeu.

Nascido em Lisboa, era filho de António de Holanda, com créditos reconhecidos no âmbito da pintura e da iluminura e que o iniciou no mundo da arte. Aos vinte anos, partiu para Roma no âmbito da política cultural de D. João III que favorecia a circulação de bolseiros portugueses pelos principais centros da cultura europeia à época. Em Roma, conheceu algumas das figuras mais relevantes do Renascimento, frequentou o círculo de Vitória Colonna, onde conheceu Miguel Ângelo, de quem se afirmava discípulo e que o inspirou para os Diálogos em Roma.

Nossa Senhora de Belém
Francisco de Holanda, 1550-1553
Pintura a óleo sobre madeira
Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga, 1181 Pint

Continuar a ler “Francisco de Holanda e a malícia do tempo”

Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search