Quando o falso se confunde com o verdadeiro

A notícia é que a pintura Odalisca de pantalón rojo, de Matisse, vai regressar ao Museo de Arte Contemporáneo de Caracas, de onde tinha sido roubada. Porém, a questão é mais complexa em torno da gestão e da segurança museológicas, bem como da avaliação (e valorização) da obra de arte.

Odalisca de calças vermelhas Matisse, 1925.

Odalisca de calças vermelhas
Henri Matisse, 1925.

O facto é que, em 2002, se descobriu que a Odalisca exposta no museu era um falso e que, portanto, o original tinha sido roubado e substituído por uma cópia, presumivelmente, três anos antes, sem que ninguém – curadores, visitantes ou guardas – se tivesse apercebido.

Continuar a ler