Paulo Varela Gomes

Paulo Varela Gomes (Lisboa, 1952 – Podentes, 2016) morreu hoje.

É a notícia de uma partida anunciada num longo e impressionante texto publicado em maio de 2015 na revista Granta, seguramente, o mais belo e comovente texto sobre a dor, a doença e a imanência da morte.

Paulo Varela Gomes Foto: Granta, s/d.

Paulo Varela Gomes
Foto: Granta, s/d.

Paulo Varela Gomes, licenciado em História, mestre em História da Arte e doutorou-se em História da Arquitetura, foi professor associado no Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra e deixou uma vasta investigação nos domínios da história da arte e da arquitetura. Para lá da comunicação interpares, junto à comunidade científica que o prestigia, aclamando-o unanimemente como elemento de mérito, Varela Gomes manteve um registo de divulgação às massas, como autor e apresentador de documentários de televisão, ou como autor de ensaios e artigos em publicações não científicas, descodificava a história da arte em linguagem comum, sem perder o rigor e a qualidade do discurso erudito. Todos nós fomos seus alunos e gostámos do jeito fácil de aprender com ele.

Morreu hoje, mas dá-se a circunstância de estar a ler Hotel (2014), uma leitura que foi sendo sucessivamente adiada, pelo que fica esta sensação de ver partir alguém que, nos últimos dias, tem estado a contar-me uma história amoral e fascinante. Por isso, marco o encontro: até já, na Torre das Infantas.

Fonte da imagem: http://www.tintadachina.pt/granta/author.php?code=0dbcde8750e478c9e5dc0b20ca79dbb4&tcsid=effoqu5kf6ak4sjheikn8t7991


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *